Condição... Humana...


A idade do Planeta Terra.


O Planeta Terra tem 4 bilhões e 600 milhões de anos (+ ou -: 4.600.000.000,00).

Vamos imaginar que a Terra é uma pessoa com 46 anos, comparativamente, e fazendo uma conversão nas escalas de tempo teríamos o seguinte quadro:
• Até os 7 anos não sabemos nada da vida desta pessoa “Terra”;
• Até os 42 anos, sabemos muito pouco;
• Os dinossauros só apareceram quando a Terra já tinha 45 anos;
• Os mamíferos entraram em cena nos últimos 8 meses;
• Exatamente na metade da última semana, alguns macacos parecidos com o homem evoluíram para a situação de um homem parecido com macacos;
• 3 dias antes de completar 46 anos, a Terra sofreu a última era glacial;
• O homem moderno, nós, surgimos nas últimas 4 horas;
• Há apenas 1 hora descobrimos a agricultura e nos fixamos à terra como sedentários;
• A revolução industrial ocorreu no último minuto;
• Nos 60 segundos seguintes, conseguimos transformar um paraíso num lixo. Nos multiplicamos como uma praga, e causamos a extinção de mais de 500 espécies de animais, e devastamos o planeta à procura de combustíveis fósseis e riquezas minerais. Não medindo as conseqüências, já inviabilizamos muitas formas de vida e agora estamos afetando todo o conjunto, prejudicando a nós mesmos.
• Há apenas alguns poucos segundos, parte da humanidade começou a perceber o que estamos fazendo;


* fonte:
http://centrobufalobranco.blogspot.com/2010/10/o-planeta-terra.htm

 

 

"Terra és o mais bonito dos planetas

Tão te maltratando por dinheiro
Tu que és a nave nossa irmã
Canta, leva tua vida em harmonia
E nos alimenta com teus frutos
Tu que és do homem a maçã
Vamos precisar de todo mundo
Um mais um é sempre mais que dois
Pra melhor juntar as nossas forças
É só repartir melhor o pão
Recriar o paraíso agora
Para merecer quem vem depois"

- Beto Guedes e Ronaldo Bastos -

Paz e luz...




Escrito por Marcelo Moreira às 14h14
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




======================

    Ainda vejo as suas luzes

======================

 

         Na semana passada, viajei para Itacaré. Um lugar maravilhoso onde tudo anda devagar. Uma vila que se debruça preguiçosamente no mar misterioso da Bahia de Todos-os-Santos. Eu, como todo ser vivente, adoro caminhar nas areias da praia durante a noite.

         Nessa noite, o céu estava brilhante com suas estrelas que só a Bahia tem. E como gosto de pensar que cada estrela no céu é uma criança, comecei a atribuir nomes as estrelinhas daquela noite maravilhosa.

         Lembrei de minha estrelinha Bruna, da estrelinha Maria, estrelinha Manuela, estrelinha Ariel, do Superstar Lucas que fará dezoito anos em breve, mas continua sendo uma criança pra mim. Entretanto, existem milhões de estrelas e fiquei pensando nas crianças que não conheço.

         Pude então perceber que eu estava olhando para uma galáxia de crianças. Todas brilhando.

         Já que alguns fatos não têm como explicar e nem a quem culpar, gosto de lembrar de uma aula de física, na qual o professor dizia que, quando uma estrela morre, a sua luz, permanece viajando anos e anos, seguindo seu curso, até chegar ao alcance de nossos olhares tão ávidos por todo aquele brilho.

         Muitas estrelas que vemos hoje, até mesmo aquelas que vi no céu da Bahia, podem não mais existir. E essa é a idéia para as estrelinhas que se foram. Elas se foram, mas sua luz permanecerá entre a gente. Nenhum louco poderá apagá-la.

         Hoje as estrelas continuam brilhando no céu do meu coração, como brilharam naquela noite da Bahia. Mas sei que faltam algumas estrelinhas nesse meu céu, embora eu continue admirando as suas luzes...

       

         “Há de apagar

         Uma estrela no céu cada vez que ocê chorar...

         Há de surgir

         Uma estrela no céu cada vez que ocê sorrir...”

          - Gilberto Gil –

         Marcelo Moreira, sujeito com qualidades e defeitos, pai de Bruna (minha estrelinha), que se entristece quando presencia atrocidades como a que aconteceu com as crianças na escola em Realengo. Esse texto é para vocês! Continuem brilhando...

         Paz e luz...



 



Escrito por Marcelo Moreira às 12h14
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




=====
Divã
=====

A gente procura um analista em busca de definições.


E depois de quase 3 anos juntos você descobre, que não há definição.


Vida é falta de definição.


É transitória mesmo.


Agora eu entendi.


Não tem a portinha certa.


Não tem o mapa da mina.


O mapa muda toda hora.


A mina pode explodir a qualquer hora em qualquer lugar.


Não é assim? Acho que vou te dar alta!


Tudo que eu preciso é conviver bem com meu desalinho, com a minha inconstância e com a surpresas que a vida traz.


Ah, e por falar em surpresas, estou adorando os quadros que estou fazendo. Tá sendo uma terapia pra mim.


De resto Lopes, a vida continua.


O sol continua manchando minha pele, meus filhos continuam me dando trabalho. Mel Gibson?Continua firme e forte na minha imaginação. Tá rindo? É sinal que a minha vida tem graça.


Porque agora eu sei, se eu tive problema um dia , não foi por falta de felicidade,não foi mesmo!!!



( Trecho do filme Divã, onde a personagem de Lília Cabral, conversa com seu analista)



Nota de Marcelo Moreira:
Impressionante quando escutamos,
lemos ou vivemos alguma coisa,
que bate diferente dentro da gente, como se fosse a peça que faltava em um quebra-cabeça,
foi a segunda vez que assisti ao filme DIVÃ, gostei muito da primeira e simplesmente amei a segunda.
Paz e luz...


Escrito por Marcelo Moreira às 19h32
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




===========

     Tristeza

===========

Olhe, não fique assim não, vai passar. Eu sei que dói. É horrível. Eu sei que parece que você não vai aguentar, mas aguenta. Sei que parece que vai explodir, mas não explode. Sei que dá vontade de abrir um zíper nas costas e sair do corpo porque dentro da gente, nesse momento, não é um bom lugar para se estar. (Fernando Pessoa escreveu, num momento parecido, “hoje não há mendigo que eu não inveje só por não ser eu”)

Dor é assim mesmo, arde, depois passa. Que bom. Aliás, a vida é assim: arde, depois passa. Que pena. A gente acha que não vai aguentar, mas aguenta: as dores da vida. Pense assim: agora tá insuportável, agora você queria abrir o zíper, sair do corpo, encarnar numa samambaia, virar um paralelepípedo ou qualquer coisa inanimada, anestesiada, silenciosa. Mas agora já passou. Agora já é dez segundos depois da frase passada. Sua dor já é dez segundos menor do que duas linhas atrás. Você acha que não, porque esperar a dor passar é como olhar um transatlântico no horizonte estando na praia. Ele parece parado, mas aí você desvia o olho (…) quando vai ver o barco já tá lá longe. A sua dor agora, essa fogueira na sua barriga, essa sensação de que pegaram sua traquéia e seu estômago e torceram como uma toalha molhada, isso tudo - é difícil de acreditar, eu sei - vai virar só uma memória, um pequeno ponto negro diluído num imenso mar de memórias.

Agora não dá mesmo pra ser feliz. É impossível. Mas quem disse que a gente deve ser feliz sempre? Isso é bobagem. Como cantou Vinícius: “É melhor viver do que ser feliz”. Porque pra viver de verdade a gente tem que quebrar a cara. Tem que tentar e não conseguir. Achar que vai dar e ver que não deu. Querer muito e não alcançar. Ter e perder.

Tem que ter coragem de olhar no fundo dos olhos de alguém que a gente ama e ouvir uma coisa terrível, que tem que ser ouvida. A vida é incontornável. A gente perde, leva porrada, é passado pra trás, cai. Dói, ai, eu sei como dói. Mas passa.

Tá vendo essa dor que agora samba no seu peito de salto de agulha? Você ainda vai olhá-la no fundo dos olhos e rir da cara dela. Juro que tô falando a verdade. Eu não minto. Vai passar.

- Antônio Prata -

"A felicidade é como a gota de orvalho

numa pétala de flor...

Brilha tranquila, depois, de leve oscilla...

e cai como uma lágrima de amor..."

- Tom Jobim e Vinícius de Moraes -




Escrito por Marcelo Moreira às 09h25
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




======================================================

     O outro não é como eu imaginava... E agora?

======================================================

Toda vez que alguém desperta em nós um sentimento de atração ou encantamento, tendemos a algumas reações bastante peculiares e características. Olhos brilhando, coração palpitando, ansiedade aguçada, pensamentos recorrentes das inúmeras possibilidades de encontro, entre outros que podem nos enredar nas teias da paixão. O fato é que a arena das expectativas é imediatamente armada!

Isto é, independente de o contato ter sido pessoalmente, por telefone ou pela Internet, quando o “sininho toca”, todo nosso corpo reage e toda nossa mente se prepara para o que pode estar por vir. E, mais do que isso, todo nosso ser se preenche com fantasias sobre quem é esta pessoa capaz de nos tirar do eixo e nos levar às nuvens.

A partir daí até o momento em que realmente começamos a reconhecer esse alguém – com todas as suas qualidades e limitações, muitas máscaras e simulações vão rolar. Não que as pessoas sejam falsas, de modo algum. Não é de caráter que estou falando agora, mas de dinâmica de relacionamento, algo que poderíamos chamar de “a dança do enamoramento”.

Acontece que quando queremos conquistar alguém, tendemos a – tal qual um pavão – exibir o que temos de melhor, de mais bonito e atraente. Afinal, a ideia é fazer com que o outro não tenha olhos para mais nada nem ninguém. E para corroborar com essa intenção, o outro também faz questão de alinhar seu senso crítico a fim de que o “exibido” seja mesmo tudo o que ele espera.

E que bom que funcionamos assim: na maioria das vezes, um quer ser gostado e o outro quer gostar, e vice-versa. É justamente essa congruência de desejos que abre espaço para que o amor surja... ou não! Porque o que vai se tornar cada vez mais evidente é o que cada um realmente é, com todos os seus méritos e débitos. E não há nada de mal nisso. Pelo contrário: é somente com essa realidade que podemos nos relacionar de fato!

O problema é quando um ou outro exagera na exibição e, na impossibilidade de sustentar tamanha idealização, termina por decepcionar; ou ainda quando um ou outro exagera nas expectativas e, na primeira constatação de limitação, termina decepcionado.

Sendo assim, mais do que tentar ser perfeito ou esperar a perfeição do outro, procure se relacionar da forma mais espontânea e autêntica possível. Se o outro não é como você imaginava, tente perceber em que momento aconteceu o desencontro entre expectativa e realidade.

Se descobrir que está exigente demais e, por isso, tem se decepcionado facilmente, fique mais atento às suas próprias limitações e, certamente, vai se tornar mais complacente com o outro. E se descobrir que está carente demais e, por isso, tem se encantado com todo mundo, sempre na esperança de ter finalmente encontrado seu grande amor, comece a ter consciência do que realmente quer. Senão, vai se apaixonar e desapaixonar indefinidamente, cavando um poço de frustrações cada vez mais fundo.

Na dança do amor, a sintonia é bem maior quando cada um sabe reconhecer seus talentos, bem como admitir o que ainda precisa aprender. E se o outro não é como você imaginava, talvez você também não seja como ele imaginava... e que ótimo, porque agora resta apenas a oportunidade incrível de serem quem verdadeiramente são e ficarem disponíveis para alguém que se encante por essa realidade!

Nota de Marcelo Moreira:

Este artigo foi escrito por: Dra. Rosana Braga (Consultora)

Fonte: http://msnencontros.parperfeito.com.br

"Drão!
O amor da gente
É como um grão
Uma semente de ilusão
Tem que morrer pra germinar
Plantar nalgum lugar
Ressuscitar no chão
Nossa semeadura
Quem poderá fazer
Aquele amor morrer
Nossa caminhadura
Dura caminhada
Pela estrada escura..."
- Gil -




Escrito por Marcelo Moreira às 08h57
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




 

REGRAS PARA "SER" HUMANO!

1. Você receberá um corpo.
Pode gostar dele ou odiá-lo, mas ele será seu durante essa rodada.

2. Você aprenderá lições. Você está matriculado numa escola informal, de período integral, chamada vida. A cada dia, nessa escola, você terá a oportunidade de aprender lições. Você poderá gostar das lições ou considerá-las irrelevantes ou estúpidas.

3. Não existem erros, apenas lições. O crescimento é um processo de tentativa e erro: experimentação.
As experiências que não dão certo fazem parte do processo, assim como as bem sucedidas.

4. Cada lição será repetida até que seja aprendida.
Cada lição será apresentada a você de diversas maneiras, até que a tenha aprendido. Quando isso ocorrer, você poderá passar para a seguinte.
O aprendizado nunca termina.

5. Não existe nenhuma parte da vida que não contenha lições. Se você está vivo, há lições para aprender.

6. “Lá” não é melhor do que “aqui”. Quando o seu “lá” se transformar em “aqui”, você simplesmente encontrará outro “lá” que parecerá novamente melhor do que o “aqui”.

7. Os outros são apenas seus espelhos. Você não pode amar ou detestar algo em outra pessoa, a menos que isso reflita algo que você ama ou detesta em si mesmo.

8. O que fizer de sua vida é responsabilidade sua.
Você tem todos os recursos de que necessita. O que fará com eles é de sua responsabilidade. A escolha é sua.

9. As respostas estão dentro de você.
Tudo o que tem a fazer é analisar, ouvir e acreditar.

10. Você se esquecerá de tudo isto!

Paz e luz...

(Twyla Nitsch, Anciã da tribo Seneca)





Escrito por Marcelo Moreira às 10h18
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




=====================

   O VOTO ENVERGONHADO

=====================

Por Tuty Vasques

Afora os sem-vergonha que declaram voto errado só pelo prazer de contrariar as enquetes de boca de urna, os institutos de pesquisa prevêem uma dificuldade extra de prognósticos nesta reta final da campanha presidencial: estima-se que o surgimento de eleitores envergonhados da própria escolha possa comprometer de vez a credibilidade de todo e qualquer método de aferição da opinião pública. Tem gente por aí, dizem os entendidos na coisa, escondendo candidato no armário.

Quem já escolheu presidenciável, mas não se sente seguro para defendê-lo nem depois do terceiro chope, estaria preferindo dissimular seu voto até em roda de amigos. Nas atuais circunstâncias do debate eleitoral, convenhamos, só o voto nulo é bem aceito por todos. Alguém na mesa do bar diz “eu te entendo” e, dessa forma, o eleitor que não ousa dizer o nome de seu candidato se livra da pergunta que não quer calar em toda discussão política neste segundo turno: “Como é que você tem coragem de votar em alguém assim?!”

A boa notícia é que faltam só 10 dias para o País mudar de assunto. Política não é, decerto, o forte do brasileiro.

- Tutty Vasques -

Nota de Marcelo Moreira

Alfredo Ribeiro de Barros (Rio de Janeiro, 1954) é um jornalista brasileiro, mais conhecido por seu alterego Tutty Vasques. Por meio deste, mantém uma coluna  de humor, que desde 1985 passou por diversas publicações, entre elas Jornal do Brasil, Época e revista veja.


 



Escrito por Marcelo Moreira às 09h42
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




- Texto de Barão de Itararé -

Como entrou no céu o primeiro advogado

 

 

 

Logo que Santo Ivo morreu, encaminhou-se ao Céu e bateu à porta, que São Pedro não se atreveu a abrir, subestimando as razões do bom santo.

- Faço o que quiseres - repetia o porteiro do Céu -, mas não acho que deva permitir a entrada a um advogado, não só porque nem um tem assento entre os santos, mas também porque; muito ao contrário, juraria que se encontram no inferno todos os de tua profissão.

Santo Ivo não se desconcertou; antes, como bom advogado, teve tão convincentes razões para rebater as de São Pedro que este lhe permitiu finalmente entrar no Céu, mas com a condição de permanecer junto à porta.

O hóspede entrou calmamente, sentou-se no lugar indicado por São Pedro, que foi participar a Nosso Senhor o sucedido...

- Fizeste mal! Muito mal, Pedro! - respondeu Deus, quando acabou de escutá-lo.
- Havia resolvido que nenhum advogado entraria no Céu, e tinha cá minhas razões para isso. Mas já que está, deixa ficar; sem embargo, não deixes que ele se misture com os outros santos, pois do contrário acabarão no Céu a paz e a boa harmonia. Não o deixes passar além da porta.

Aborrecido e cabisbaixo, voltou São Pedro aonde estava Santo Ivo e comunicou-lhe as ordens dadas pelo Senhor. O Santo advogado encolheu os ombros e, à guisa de passatempo, começou a entabular conversa com São Pedro.

- Que posto ocupas aqui no Céu?
- Não sabes? Ora! Sou o porteiro.
- Por quanto tempo?
- Como assim - quanto temo? Para todo o sempre.
- Deixa disso. Só se tiveres algum contrato firmado...
- Não há contrato nem coisa que o valha, e para dizer a verdade não há necessidade disso.
- Como assim? Então não estás vendo, grande ingênuo, que qualquer dia Deus pode ter a idéia de te destituir, sem mais nem menos, do cargo que com zelo vens desempenhando há tanto tempo, sem que possas fazer valer teus direitos?

São Pedro coçou a orelha, e, mais amofinado que antes, foi novamente falar com Deus.

- Vamos lá, que é que pensas?
- Preciso de um contrato em que se declare que sou o porteiro do Céu para todo o sempre. Até hoje temos deixado as coisas andar à vontade; mas se vos der na idéia, qualquer dia me destituís do cargo que com tanto zelo...
- Não te dizia eu? Tudo isso são trapaças daquele advogadozinho que tens na porta e que soube encher-te a cabeça.

E ajuntou depois, tomando uma resolução:

- Anda, Pedro, corre e manda-o entrar imediatamente, pois prefiro tê-lo perto de mim a vê-lo junto à porta.

Eis como entrou no Céu o primeiro advogado.

 


Nota de Marcelo Moreira:

Aparício Fernando de Brinkerhoff Torelly (Rio Grande, 29 de janeiro de 1895 – Rio de Janeiro, 27 de novembro de 1971), também conhecido por Apporelly e pelo falso título de nobreza de Barão de Itararé, foi um jornalista, escritor e pioneiro no humorismo político brasileiro.

 

 

 

 

 



Escrito por Marcelo Moreira às 09h05
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




- Um texto de Arnaldo Jabor -

- Brasileiro é um povo solidário. Mentira. Brasileiro é babaca. 
Eleger para o cargo mais importante do Estado um sujeito que não tem escolaridade e preparo nem para ser gari, só porque tem uma história de vida sofrida; 
Pagar 40% de sua renda em tributos e ainda dar esmola para pobre na rua ao invés de cobrar do governo uma solução para pobreza; 
Aceitar que ONG's de direitos humanos fiquem dando pitaco na forma como tratamos nossa criminalidade. 
Não protestar cada vez que o governo compra colchões para presidiários que queimaram os deles de propósito, não é coisa de gente solidária. 
É coisa de gente otária.

- Brasileiro é um povo alegre. Mentira. Brasileiro é bobalhão. 

Fazer piadinha com as imundicies que acompanhamos todo dia é o mesmo que tomar bofetada na cara e dar risada.
 
Depois de um massacre que durou quatro dias em São Paulo, ouvir o José Simão fazer piadinha a respeito e achar graça, é o mesmo que contar piada no enterro do pai.
Brasileiro tem um sério problema.
Quando surge um escândalo, ao invés de protestar e tomar providências como cidadão, ri feito bobo.

-
 Brasileiro é um povo trabalhador. Mentira. Brasileiro é vagabundo por excelência.

O brasileiro tenta se enganar, fingindo que os políticos que ocupam cargos públicos no país, surgiram de Marte e pousaram em seus cargos, quando na verdade, são oriundos do povo. 
O brasileiro, ao mesmo tempo em que fica indignado ao ver um deputado receber 20 mil por mês, para trabalhar 3 dias e coçar o saco o resto da semana, também sente inveja e sabe lá no fundo que se estivesse no lugar dele faria o mesmo. 
Um povo que se conforma em receber uma esmola do governo de 90 reais mensais para não fazer nada e não aproveita isso para alavancar sua vida (realidade da brutal maioria dos beneficiários da bolsa família) não pode ser adjetivado de outra coisa que não de vagabundo.

- Brasileiro é um povo honesto. Mentira. Já foi; hoje é uma qualidade em baixa.

Se você oferecer 50 Euros a um policial europeu para ele não te autuar, provavelmente irá preso. 
Não por medo de ser pego, mas porque ele sabe ser errado aceitar propinas.
 
O brasileiro, ao mesmo tempo em que fica indignado com o mensalão, pensa intimamente o que faria se arrumasse uma boquinha dessas, quando na realidade isso sequer deveria passar por sua cabeça. 

- 90% de quem vive na favela é gente honesta e trabalhadora. Mentira. Já foi.

Historicamente, as favelas se iniciaram nos morros cariocas quando os negros e mulatos retornando da
Guerra do Paraguai ali se instalaram. 
Naquela época quem morava lá era gente honesta, que não tinha alternativa e não concordava com o crime. 
Hoje a realidade é diferente. 
Muito pai de família sonha que o filho seja aceito como 'aviãozinho' do tráfico para ganhar uma grana legal. 
Se a maioria da favela fosse honesta, já teriam existido condições de se tocar os bandidos de lá para fora, porque podem matar 2 ou 3 mas não milhares de pessoas.
Além disso, cooperariam com a polícia na identificação de criminosos, inibindo-os de montar suas bases de operação nas favelas.

- O Brasil é um pais democrático. Mentira. Num país democrático a vontade da maioria é Lei.

A maioria do povo acha que bandido bom é bandido morto, mas sucumbe a uma minoria barulhenta que se apressa em dizer que um bandido que foi morto numa troca de tiros, foi executado friamente. 
Num país onde todos têm direitos, mas ninguém tem obrigações, não existe democracia e sim, anarquia. 
Num país em que a maioria sucumbe bovinamente ante uma minoria barulhenta, não existe democracia, mas um simulacro hipócrita. 
Se tirarmos o pano do politicamente correto, veremos que vivemos numa sociedade feudal: um rei que detém o poder central (presidente e suas MPs), seguido de duques, condes, arquiduques e senhores feudais (ministros, senadores, deputados, prefeitos, vereadores).
Todos sustentados pelo povo que paga tributos que têm como único fim, o pagamento dos privilégios do poder. E ainda somos obrigados a votar.
  
Democracia isso? Pense!

-O famoso jeitinho brasileiro.

Em minha opinião, um dos maiores responsáveis pelo caos que se tornou a política brasileira. 
Brasileiro se acha malandro, muito esperto. 
Faz um 'gato' puxando a TV a cabo do vizinho e acha que está botando pra quebrar.
 
No outro dia o caixa da padaria erra no troco e devolve 6 reais a mais, caramba, silenciosamente ele sai de lá com a felicidade de ter ganhado na loto... malandrões, esquecem que pagam a maior taxa de juros do planeta e o retorno é zero. Zero saúde, zero emprego, zero educação, mas e daí?
Afinal somos penta campeões do mundo né?
Grande coisa... 

-O Brasil é o país do futuro.

Caramba, meu avô dizia isso em 1950. Muitas vezes cheguei a imaginar em como seria a indignação e revolta dos meus avôs se ainda estivessem vivos. 
Dessa vergonha eles se safaram... 
Brasil, o país do futuro!?
Hoje o futuro chegou e tivemos uma das piores taxas de crescimento do mundo. 

-Deus é brasileiro.

Puxa, essa eu não vou nem comentar... 

O que me deixa mais triste e inconformado é ver todos os dias nos jornais a manchete da vitória do governo mais sujo já visto em toda a história brasileira.
 
Para finalizar tiro minha conclusão: 

O brasileiro merece! Como diz o ditado popular, é igual mulher de malandro, gosta de apanhar. Se você não é como o exemplo de brasileiro citado nesse e-mail, meus sentimentos amigo, continue fazendo sua parte, e que um dia pessoas de bem assumam o controle do país novamente. 
Aí sim, teremos todas as chances de ser a maior potência do planeta. 
Afinal aqui não tem terremoto, tsunami nem furacão.
Temos petróleo, álcool, bio-diesel, e sem dúvida nenhuma o mais importante: Água doce!

Só falta boa vontade, será que é tão difícil assim?
 
 

Nota de Marcelo Moreira:

"Não sei quanto a vocês, mas quanto a mim, odeio reconhecer que a carapuça se encaixou certinho!"

Paz e luz...


 

 



Escrito por Marcelo Moreira às 11h05
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Inseto

     Segundo a BBC de Londres, ontem, o inseto, que matou John Lennon em 1980, teve negado pela 6ª vez seu pedido de liberdade condicional.

     Assim como a geração anterior a minha sabe direitinho onde estava na hora da morte de Kennedy, e os jovens de hoje se lembram dos instantes da morte do rei do Pop, Michael Jackson, a minha se recorda com exatidão do que fazia no momento em que recebeu a notícia da morte de Lennon, atingido com quatro tiros em Nova York.

     Eu morava em Salvador e estava na sala de minha casa, quando minha mãe veio com a informação. Fiquei ali... sentado no sofá! Sem acreditar no que ouvia. Fazia tão pouco sentido aquilo tudo... Mas era real. Durante o dia todo e nos dias que se seguiram, não se falava em outra coisa. “Imagine” tocava a todo instante e até quem gostava da música, tomou um certo enjôo.

     Muito se falou sobre a morte de Lennon por Mark Chapman, mas para mim uma das melhores traduções está na música “empty garden” em que Elton John lamenta a morte do Ex-beatle por um desequilibrado... “É engraçado como um inseto pode danificar tantos grãos...”

 

Empty Garden

Elton John

What happened here,     O que aconteceu aqui?
As the New York sunset disappeared?
Conforme o pôr-do-sol de Nova Iorque desaparecia
I found an empty garden among the flagstones there.
Eu achei um jardim vazio, entre as lajes ali.
Who lived here? Quem viveu aqui?
He must have been a gardener that cared a lot, Ele deve ter sido um jardineiro que se preocupava muito,
Who weeded out the tears and grew a good crop. Que "capinou" as lágrimas e cultivou uma boa colheita.
And now it all looks strange. E agora tudo parece estranho,
It's funny how one insect can damage so much grain.
É engraçado como um inseto consegue danificar tantas sementes...
And what's it for,  E para quê é
This little empty garden by the brownstone door?
Este pequeno jardim vazio perto da porta de arenito?
And in the cracks along the sidewalk   E nas ranhuras ao longo da calçada,nothing grows no more. Nada mais cresce.
Who lived here? Quem viveu aqui?
He must have been a gardener that cared a lot, Ele deve ter sido um jardineiro que se preocupava muito,
Who weeded out the tears and grew a good crop. Que "capinou" as lágrimas e cultivou uma boa colheita.
And we are so amazed! We're crippled and we're dazed.... E nós estamos tão espantados, debilitados e aturdidos,
A gardener like that one, no one can replace. Um jardineiro como aquele ninguém pode substituir.
And I've been knocking, but no one answers. E eu tenho batido [na porta] mas ninguém responde,
And I've been knocking, most all the day. E eu tenho batido a maior parte do dia.
Oh and I've been calling ,oh hey, hey, Johnny!   E eu tenho chamado:
"Ei, ei, Johnny!

Can't you come out to play?  Você não pode sair para brincar?"
And through their tears, E através das suas lágrimas,
Some say he farmed his best in younger years. Alguns dizem que ele cultivou o melhor de si nos anos mais jovens.
But he'd have said that roots grow stronger, Mas ele teria dito que as raízes crescem mais fortes
if only he couldhear. se ao menos ele pudesse ouvir...
Who lived there? Quem viveu lá?
He must have been a gardener that cared a lot, Ele deve ter sido um jardineiro que se preocupava muito,
Who weeded out the tears and grew a good crop. Que "capinou" as lágrimas e cultivou uma boa colheita.
Now we pray for rain, and with every drop that falls..... Agora nós rezamos pela chuva, e a cada gota que cai
We hear, we hear your name..... Nós ouvimos, nós ouvimos seu nome.
And I've been knocking, but no one answers. E eu tenho batido [na porta] mas ninguém responde,
And I've been knocking, most all the day. E eu tenho batido a maior parte do dia.
Oh and I've been calling ,oh hey, hey, Johnny! E eu tenho chamado:
"Ei, ei, Johnny!
Can't you come out to play, Você não pode sair para brincar? Johnny!
In your empty garden? em seu jardim vazio?

 

Valeu Lennon!

Você só queria sonhar... e viver...

Paz e luz...



Escrito por Marcelo Moreira às 09h29
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Sonhando acordado

 

Não sei como começar este post, sei que não há palavras para descrever o evento que foi o Bourbon Street Music Club, em Paraty. O festival reuniu  ritmos musicais como  Jazz, Blues, R&B e Soul, além de onze atrações nacionais e internacionais.

Durante os três dias de festa, subiram ao palco grandes artistas como Léo Gandelman e Diogo Poças, Glen David Andrews, Big Time Orchestra, Caviars Blues Band + Chui, Paulo Meyer e Donny Nichillo, Stanley Jordan & Armandinho, Victor Brooks com Julie Mcknight & Wayne Vaughn, Rhandal & Trio, Bocato & Flávia Fonseca, John Pizzarelli e o DJ Bebeto + Jam de Paraty.

As músicas tocadas naquele ambiente singular, que é o Centro histórico de Paraty, nos obrigava, sem qualquer intenção, a viajar nas levadas do jazz e do soul – ritmos não muito cultuados aqui no Rio de Janeiro – Quando me posicionei ao centro do PA muito bem operado, para ouvir o som de Armandinho e Stanley Jordan, não me restou outra coisa a fazer, que não fosse cruzar os braços, apontar o rosto na direção do palco e fechar os olhos... uma onda de música me invadiu e me trouxe tanta paz... tanta luz... a música era daquelas que fazem a pele do braço arrepiar. Naquele momento, eu estava sob o domínio do encantamento. Parecia que ali, só existia eu e aquela música. Quando uma música se encerrava, os músicos eram aplaudidos de uma forma tão honesta, tão merecedora...

O festival foi como um sonho - aquele sonho que só acontece uma vez, e não adianta dormir para tentar voltar a ele, quem estava lá viveu, quem não estava, perdeu. Foi um momento mágico daqueles que ecoarão na cabeça e no coração de todos que lá sonharam acordados.

Paz e luz...

 

"Oh yes, I can make it now the pain is gone.
All of the bad feelings have disappeared.
Here is the rainbow I've been praying for.
It's gonna be a bright (bright)
bright (bright) sunshine day."

- Jimmy Cliff -

 



Escrito por Marcelo Moreira às 18h28
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Manhã ou tarde???

Essa tenho que compartilhar com vcs... rsrsrs
Eu ligo pro DETRAN pra marcar a vistoria de licenciamento anual:
Telefonista do detran - Bom dia senhor! Em que posso ajudá-lo?
EU - Bom dia! Eu gostaria de agendar minha vistoria...
Telefonista do detran - Perfeito senhor! O Senhor gostaria de marcar para a parte da manhã ou da tarde?
EU - Para a parte da manhã, por gentileza...
Telefonista do detran - Bem... eu tenho, na parte da manhã,  para o dia dezoito...
EU - Esse dia seria ótimo para mim... marque para esse dia então...
Telefonista do detran - Senhor. Neste dia, só teremos a partir das doze e quarenta e cinco...
EU - Então você não tem o horário da manhã! Concorda?
Telefonista do detran - Depende do ponto de vista senhor...
EU - Amigo... Quando passa do meio dia... você costuma dar bom dia ou boa tarde para as pessoas?
Telefonista do detran - Senhor...
- Interrompi ele apartir daí, porque vi que essa "prosa" não iria levar a lugar algum...
EU - Faz o seguinte meu amigo! As "doze e quarenta da manhã" não poderei fazer esta vistoria em meu carro. (Neste momento, a vontade de rir, já era incontrolável) Me transfira para um dia em que eu possa fazê-la "na primeira parte da manhã" tipo, das oito as doze horas...

Bem gente... depois dessa, não sei se desejo a vocês bom dia ou boa tarde quiçá, boa noite!!!

Farei melhor... como sempre faço...

Paz e luz...

 

 

 

 



Escrito por Marcelo Moreira às 10h15
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Manhã dos 40

 

                        

Na manhã dos meus 40 anos penso na vaidade dos homens.
Dos que vivem pelo corpo e não no corpo.
Dos que malham seus músculos e os deixam rígidos,
todavia suas almas são moles e "brocham" nos momentos que a natureza
apaga suas luzes.
Dos que pintam o rosto, mas não colorem a aura de dourado.
Dos que tingem o cabelo e os fazem brilhar, mas jamais tornam suas idéias
brilhantes.
Dos que fazem flexões, porém nunca reflexões!
Dos que levantam pesos, mas deixam de aliviar suas cargas.
E na plena manhã dos meus 40, eu tive uma bruta certeza.
Que a vida humana na Terra parece uma viagem de férias!
Onde seguem, os turistas, inconscientes, pagando seus pedágios. 
Navegam rumo aos oceanos da estupidez e, literalmente, descem as serras.
Passam protetor solar fator 30, todavia queimam, duramente, o discernimento.
Tiram suas roupas, oferecem a carne, mas deixam sua alma a
descoberto.
A vaidade se vai na idade.
Quando se descobre que é preciso se descobrir afinal.
Quando se percebe que é necessário percepção.
Quando se sente que não amamos o suficiente.
Quando se toca que é tempo de se tocar.
Quando se aprende que, definitivamente, passamos de ano,
mas somos reprovados por faltas e por provas.
E na plena manhã dos meus 40,
eu já não tenho mais certeza de nada.
Deixo de apagar as velinhas para acender uma luz,
que o meu coração cisma em acender cada vez que eu busco a felicidade.
Eu não faço anos, os anos é que me fazem! Paz e luz...

"Vida louca vida
Vida breve
Já que eu não posso te levar
Quero que você me leve
Vida louca vida
Vida imensa
Ninguém vai nos perdoar
Nosso crime não compensa"

- Lobão e Bernardo Vilhena -



Escrito por Marcelo Moreira às 12h13
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




=====================================================     
    UMA ORAÇÃO PARA DEUS QUE MORA NOS CORAÇÕES
===========================================================
Que você encontre o amor mais lindo dentro do seu próprio coração.
Que você veja seus filhos como presentes de Deus.
Que você ainda se encante com as coisas mais simples da vida.
Que você não se iluda com as luzes temporárias do mundo.
Que você saiba tirar sábias lições de vida dos reveses.
Que você perdoe, mesmo que ninguém entenda.
Que você veja cada dia como uma bênção de luz e recomeço...
Que nada possa afastá-lo de seus melhores propósitos.
Que você escute música e se sinta agradecido.
Que você não se esqueça de seus pais e honre-os com sua atenção.
Que você seja justo, sem jamais perder seu coração e sua canção.
Que você não se apegue ao passado; há muita coisa para aprender...
Que você não se esqueça de quem lhe ajudou; gratidão é sabedoria.
Que você conserve seus amigos verdadeiros; eles são jóias de sua vida.  
Que você segure seus filhos no colo, como Deus segura as estrelas.
Que você veja seu parceiro (a) como um presente da vida.
Que você chore, se for preciso, mas que suas lágrimas sejam lindas.
Que você ria, principalmente de si mesmo; alegria é fundamental!
Que você não tenha ódio em seu coração, pois isso empobrecerá sua canção.
Que você supere suas provas, com coragem e inteligência.
Que você abra seu coração para o amor, como a flor se abre para o sol.
Que você beije alguém amado como os raios solares beijam as flores.
Que você faça amor com luz nos olhos e gratidão pelo presente.
Que você não prenda quem quer ir embora. Amor não é gaiola!
Que você se atreva a ser você mesmo, mas sem arrogância!
Que você jamais se esqueça de que há um Poder Maior em todas as coisas.
Que você ore, em espírito e verdade, sem medo de se abrir para o Céu.
Que você converse com Deus, de coração a coração, sem dramas.
Que você olhe para a lua cheia, extasiado, como uma criança.
Que você sinta o cheiro do café e se sinta cada vez mais vivo.
Que você tome um chá de olhos fechados e pense em algo bom.
Que você se recicle, se areje, para não criar teias de aranha em sua vida.
Que você tenha a idade que seu espírito lhe disser, sem medo de rugas.
Que você não envelheça sem amadurecer; jamais deixe de rir de uma piada!
Que você sempre trate bem a sua criança interior; criança é vida!
Que você sempre desconfie quando a música não o encantar mais.
Que você perceba o perigo de ser tomado pela irritação descabida.
Que você não perca tempo com fofocas e nem se irrite com tolices.
Que você saiba valorizar pessoas de energia limpa e toques legais.
Que você se atreva a andar com um sol na cara e um grande amor no peito.
Que você não se engane com as aparências; há muita gente boa neste mundo.
Que você não olhe raça, religião, sexo ou cultura; veja Deus em cada ser.
Que você jamais ache que perdeu algo ou alguém; Deus está em tudo!
Que você sinta o que senti ao escrever tudo isso, em espírito e verdade.
Que você veja paz e luz nessas linhas; a mesma luz e mesma paz que está em seu coração.
Que você sinta um Grande Amor; o mesmo que me fez escrever...
Que você escute alguma canção querida e se sinta muito bem.
Que você seja feliz, mesmo que ninguém entenda.
Paz e luz...
"Loves comes to you and you follow
Lose one on to the heart of the sunrise
Sharp | Distance
How can the wind with its arms all around me

Lost on a wave and then after
Dream on, on to the heart of the sunrise
Sharp | Distance
How can the wind with so many around me
Lost in the city

Lost in their eyes as you hurry by
Counting the broken ties they decide"
- YES -


Escrito por Marcelo Moreira às 10h06
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




=====================
   ANTES DE DORMIR
===============
 
Toda noite, antes de dormir, passo pela minha mente um programa que faz uma varredura no sistema, procurando por coisas que me afetaram durante o dia.
Por vezes, pego algum spyware, infiltrado em minha mente sem que eu percebesse, e que, de maneira sorrateira, tenta roubar-me as senhas da alegria, da paz e da harmonia.
Vejo que aquilo não é meu, foi infiltrado no sistema enquanto eu estava distraído, lidando com um programa chamado cotidiano, ou talvez com algum problema.
Outras vezes, pego alguns vírus no sistema, que vêm do relacionamento com as pessoas. Há muitos tipos de vírus: "egoísmo.exe", "indiferença.exe", e vários outros... Mas, o pior de todos é o "medo.exe".
Quem já foi pego por esse último, sabe que ele trava tudo.
Há, no entanto, algumas coisas que eu não sei identificar bem, e isso porque ainda não conheço tudo sobre o meu programa; não sei se vou precisar desses arquivos algum dia...
Ou se são coisas que eu realmente posso deletar em mim. E quando há essa dúvida, eu as coloco em quarentena, e aí deixo o tempo passar... E, não raro, acontece que, depois de um bom tempo, ao abrir aquela pasta na minha mente, vejo que aquelas idéias ainda estão lá e eu não precisei delas em nenhum momento; então, deleto-as com tranqüilidade.
Mas essas coisas não são fáceis, porque aqueles que fazem os vírus e os spyware, vão se aprimorando, tornando-os mais eficazes e, se o seu firewall do programa “orai e vigiai” não estiver ativo, eles se infiltram, e isso é quando você menos espera - e de quem você menos espera.
Nesse caso, só dá para passar o antivírus antes de dormir, mas você tem que mantê-lo atualizado e, para isso, tem que fazer download no provedor do estudo, na página da prática, e com um fantástico aplicativo chamado “discernimento.exe”.
E, assim seguindo, percebo, às vezes, depois de longo tempo, que o sistema está fragmentado; ele fica lento, indeciso. É hora, então, de colocar cada coisa em seu devido lugar, organizar os arquivos, limpar as memórias e fazer uma faxina geral nas pastas.
Aí tudo voltará a funcionar legalzinho, mais rápido, livre e solto.
Mas vejo que, com o passar do tempo, a máquina já não é a mesma; mais dia menos dia, terei que formatá-la e começar tudo novamente. Por sorte e como sou prevenido, tenho guardados os drivers do sistema no disco do coração. Então, quando for necessário, o que importa mesmo está ali, onde nem vírus nem spyware, e nem mesmo a perda da máquina alcança.
O que é importante está bem guardado.
Paz e luz...


Escrito por Marcelo Moreira às 20h17
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]


 
Meu perfil
BRASIL, Homem, Livros, Arte e cultura
Histórico
Outros sites
  Tecquilla??
  Crônicas do frank
  Coração na boca. Blog da Fê
Votação
  Dê uma nota para meu blog